Por dentro dos EPCs

epc-equipamentos-proteção-coletiva-vertice-medicina-do-trabalho-segurança

Eles são indispensáveis à segurança dos funcionários, são obrigatórios e a não utilização correta desses dispositivos trará riscos de processos à empresa e é claro – colocará em risco a integridade física da equipe… Estamos falando dos EPCs – Equipamentos de Proteção Coletiva.

DIFERENÇA ENTRE EPI E EPC: Como o próprio nome sugere, os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) são projetados para proteger individualmente o trabalhador. São exemplos de EPIs: luvas, capacete, óculos, protetor auricular, etc..

Já os EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva) têm como função proporcionar ambientes seguros de trabalho para toda a equipe, por meio de medidas preventivas, como: placas de sinalização, sistema de iluminação de emergência, extintores de incêndio, redes de proteção, proteção de equipamentos elétricos, faixas de segurança, corrimões, etc.

Aliás, os Equipamentos de Proteção Coletiva são muito eficientes para eliminar os riscos de acidentes antes mesmo de estabelecer o uso dos EPIs. Tanto que a NR9 determina que a empresa deve priorizar a implantação dos EPCs.

COMO SABER QUAIS EPCs DEVO UTILIZAR?

Diferentemente dos EPIs, a indicação dos Equipamentos de Proteção Coletiva é mais complexa porque envolve muitas variáveis, tanto que para se estabelecer os critérios é preciso consultar várias normas regulamentadoras.

Por exemplo, para saber quais sobre qual sinalização de segurança utilizar, é preciso avaliar a NR26 que trata deste tema e estabelece padrões e cores que alertam sobre perigos de acidentes em determinados ambientes. No caso das medidas de prevenção a incêndio, como a utilização de extintores, deve-se consultar a NR 23 (clique aqui para conhecer a norma).

Mas o que vemos na maioria das vezes na prática, é que muitas empresas utilizam os EPCs de forma aleatória e claro, sem estarem de acordo com as normas regulamentadoras.

Assim, devido a essa complexidade e tamanha a importância dos Equipamentos de Proteção Coletiva, a NR4 determina que o SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) da sua empresa é quem deve definir quais são os EPCs necessários e como deve ser a sua utilização.

IMPORTANTE – é importante destacar, mais uma vez, que além de ser uma preocupação com a saúde e a segurança dos funcionários, a utilização correta dos EPCs são uma obrigatoriedade, e possíveis negligências são passíveis de penalização pelos órgãos de fiscalização trabalhistas – ou até mesmo por denúncias dos próprios funcionários. Além disso, em caso de acidentes e se for comprovado que a empresa não utilizou as formas corretas de prevenção, as dores de cabeça serão ainda maiores.

RESUMO SOBRE OS EPCs

> O QUE SÃO: Equipamentos de Proteção Coletiva

> PARA QUE SERVEM: proporcionar ambientes seguros de trabalho para toda a equipe, por meio de medidas preventivas.

> ALGUNS EXEMPLOS: placas de sinalização, sistema de iluminação de emergência, extintores de incêndio, redes de proteção, proteção de equipamentos elétricos, faixas de segurança, corrimões, etc.

> QUAIS EMPRESAS DEVEM ADOTAR: Toda e qualquer empresa

> QUAL NORMA DEVO SEGUIR? Várias normas tratam deste tema, por isso que as indicações para implantação devem partir do SESMT  da sua empresa  (clique aqui se você ainda não sabe o que é o SESMT).

> HÁ PENALIDADE EM CASO DE DESCUMPRIMENTO: Sim. Em caso de fiscalização, denúncia de funcionários ou acidentes em que se comprove a negligência da empresa quanto aos ECPs, haverá penalizações.

VEJA TAMBÉM

kit-primeiros-socorros-vertice-medicina-do-trabalho-marilia-segurança-do-trabalho-saude-do-trabalh
Acidente durante o Aviso Prévio gera estabilidade - vertice-medicina-do-trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *