Câncer: cuidado com a doença da desinformação

câncer-e-fake-news-o-perigo-da-desinformação-vertice-medicina-do-trabalho-marilia

Um dos assuntos mais comentados do momento é o grande número de Fake News que chegam até nós por meio de sites ou pelas redes sociais, como Facebook e WhatsApp.

Fake News são notícias falsas que são espalhadas rapidamente na internet (de forma proposital ou não) e que são tidas como verdades por muitas pessoas.

E se as Fake News já são por si só um problema, quando relacionadas à saúde, principalmente ao câncer, representam um grave risco.

 “DOUTORES” DO GOOGLE E OS RISCOS À SAÚDE

É inegável que o acesso à informação é um direito de todos e que a internet trouxe grandes benefícios em se tratando de democratização das informações.

Mas o problema é que hoje qualquer pessoa pode publicar na internet o que bem entender, sobre qualquer assunto – mesmo não sendo especialista na área. E aí mora o perigo: segundo o Instituto OncoGuia, há uma estimativa que cerca de 70% das informações sobre o câncer na internet são falsas.

Vamos ver um exemplo prático: se você digitar o termo “Câncer doença” no Google e prestar atenção mais detalhada nos resultados, vai ter uma surpresa assustadora: aparecerá na sua tela mais de 37 milhões de páginas da internet falando do assunto – e tudo isso em menos de um segundo.

E se existe esse número impressionante de resultados é porque também há um número assustador de pessoas que procuram no Google informações sobre o câncer.

 RESPOSTAS VARIAM CONFORME A SUA PERGUNTA

 Não bastasse o grande número de Fake News envolvendo a área da saúde, principalmente o câncer, há outro problema tão grave quanto esse: a forma como você digita sua pesquisa no Google irá influenciar nas respostas que serão apresentadas.

Por exemplo: Se você digitar: “dor de cabeça é enxaqueca”, vão aparecer 65 mil resultados no buscador – e a maioria deles, é claro, explicando os sintomas, causas e dicas de tratamento da enxaqueca.

Já se você digitar “dor de cabeça é câncer” vão surgir mais de 14 milhões de páginas referentes a isso – grande parte delas explicando sobre sintomas, causas e tratamentos de um tumor cerebral.

Ou seja, você poderá estar se afogando em ansiedade achando que a sua enxaqueca é um câncer no cérebro – ou, na pior das hipóteses, poderá estar tomando um chazinho achando que o tumor é uma simples enxaqueca.

O QUE FAZER?

Somente o médico da sua confiança pode lhe dar qualquer tipo de diagnóstico, e orientação de tratamentos com base, inclusive, no seu histórico.

Mas se você quiser saber mais sobre questões relacionadas à saúde, procure por fontes confiáveis e oficiais. No caso do câncer, o INCA (Instituto Nacional do Câncer) já dispõe de bastante conteúdo sobre o tema. Nós produzimos há pouco tempo uma matéria com fontes muito confiáveis – principalmente com dados do INCA… Clique AQUI para acessar a matéria “Câncer, tire todas as suas dúvidas”

 

De qualquer forma, a dica mais valiosa para lembrar o Dia Mundial de Combate ao Câncer é: jamais deixe se contaminar pela doença da desinformação.

 

4 de Fevereiro: Dia Mundial de Combate ao Câncer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *