Aedes aegypti: prevenção é o fim da picada!

Calor, chuva e falta de comprometimento com a prevenção… Essa é a combinação perfeita para fazer proliferar um mosquito já bem conhecido pelos brasileiros e que é transmissor de graves doenças: o Aedes aegypti.

O Ministério da Saúde já lançou a campanha de prevenção deste ano, mas este é um problema que, na verdade, depende muito mais da consciência da população do que do engajamento do governo.

 

AGORA É O MOMENTO

Os cuidados básicos com a limpeza de quintais e terrenos devem acontecer o ano todo – inclusive no inverno – período indicado para iniciar as ações de prevenção.

Mas agora é preciso muita pressa para combater os focos do mosquito, já que o período endêmico das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti vai de novembro a maio.

O problema é que mesmo que os alertas sejam feitos agora, a maioria da população só passa a se preocupar quando a doença já começa a fazer vítimas – e essa cultura precisa ser mudada com urgência, afinal, além da dengue temos outros perigos pela frente.

DOENÇAS TRANSMITIDAS PELO AEDES

Relembre quais as doenças já conhecidas que são transmitidas aedes aegypti:

Dengue Febre alta súbita, dor de cabeça e dor no corpo e articulações, náuseas e vômitos, também podem haver manchas vermelhas no corpo e coceira. CLIQUE para saber mais na página do MS
Zika Está associada à microcefalia em recém-nascidos. Sintomas: febre não muito alta, dor de cabeça, dor nas articulações, manchas vermelhas no corpo com coceira, vermelhidão nos olhos e cansaço, em algumas pessoas pode não ter nenhum sintoma. CLIQUE para saber mais na página do MS
Chikungunya Sintomas são parecidos com o da dengue: febre alta súbita, dor de cabeça constante, manchas vermelhas no corpo com coceira intensa e dor forte nas articulações com inchaço. CLIQUE para saber mais na página do MS

Há ainda a Febre Amarela – que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça e calafrios.

 

FIQUE LIGADO: PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O ASSUNTO

 

REPELENTES FUNCIONAM?

Uma das perguntas básicas sobre a dengue é saber se o uso de repelentes é um bom método de prevenção.

Desde que sejam registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e tomados os devidos cuidados, sim, os repelentes ajudam na prevenção ao mosquito.

IMPORTANTE – alguns inseticidas ditos naturais, como aqueles à base de citronela, andiroba e óleo de cravo, acabaram sendo muito utilizados no ano passado com a promessa de afugentar o aedes aegypti. Porém, não há qualquer estudo científico que comprove a eficácia desses métodos. Portanto, não confie nesses métodos por enquanto.

O QUE FAZER PRA SE PREVENIR?

Vamos relembrar a lição de casa que cada um de nós deve fazer:

  • Manter caixa d’água fechada
  • As calhas devem estar sempre limpas
  • Manter as lixeiras bem tampadas.
  • Sempre limpar com bucha os potes que os pets usam pra beber água
  • Garrafas sempre viradas com a boca para baixo.
  • Retirar sempre a água acumulada nas área de serviço
  • Colocar areia nos pratos de vasos de plantas
  • Lavar as bordas dos recipientes que acumulam água com sabão e escova/bucha.
  • Caso haja grandes reservatórios para consumo preciso acionar os agentes de saúde para que eles apliquem larbicidas
  • Denunciar à prefeitura os locais com focos do mosquito

E mais: 

É VERDADE QUE O AEDES SE REPRODUZ APENAS EM ÁGUA LIMPA?

Isso é um mito. O mosquito tem se adaptado ao longo dos anos e mudado geneticamente para sobreviver também em outros ambientes. Eles preferem águas limpas, claro, mas hoje são encontrados vetores, por exemplo, em fossas, cisternas, bocas de lobo, etc.

ÁGUA DA PISCINA PODE SER UM CRIADOURO DO VETOR?

Não, desde que a piscina esteja cuidada e com a quantidade de cloro correta.

O AEDES SÓ PICA DURANTE O DIA?

Este é mais um mito. O mosquito habita em áreas urbanas para ficar sempre perto da sua principal fonte: o homem. Portanto, ele é doméstico e pode picar tanto durante o dia como à noite.

 

 

VOU VIAJAR PARA UMA REGIÃO QUE TEM MAIS INCIDÊNCIA DAS DOENÇAS

Justamente no período em que os brasileiros mais gostam de viajar é que o mosquito representa maior perigo. Portanto, adote algumas medidas emergenciais que poderão evitar que suas férias não terminem como o planejado – principalmente se a sua viagem for para áreas com maior incidência das doenças.

  • Opte por se hospedar em locais que disponham de telas de proteção nas portas e janelas – você também pode levar mosquiteiro/cortinado
  • Chegando no local, faça uma inspeção para ver se há algum criadouro do mosquito – se houver, elimine.
  • Se você for fazer passeios por matas (ecoturismo), utilize roupas que protejam todo o corpo contra picadas de insetos.
  • Utilize repelentes nas áreas expostas da pele, seguindo a orientação do fabricante (lembre-se de utilizar apenas os repelentes regulamentados pela Anvisa).

 

CLIQUE AQUI para acompanhar o índice de monitoramento por Estado

 

 

UMA PESSOA QUE JÁ TEVE DENGUE PODE TER A DOENÇA NOVAMENTE?

Para aquele tipo da dengue, não, pois esta pessoa já estará imunizada. No entanto, é preciso lembrar que no Brasil existem 4 tipos de dengue – e neste caso, ela poderá ter mais 3 tipos da doença, as quais ainda não está imune. 

EXISTE REMÉDIO PARA CURAR A DENGUE?

Não – não há nenhum medicamento para curar a dengue. Portanto, apenas os sintomas são tratados.

POSSO ME AUTOMEDICAR EM CASO DE SINTOMAS DA DENGUE?

Nem pensar… Alguns compostos, como o ácido acetilsalicílico e todo medicamento que contenha esse composto, pode agravar o quadro se a pessoa estiver com dengue hemorrágica. Portanto, em caso de sintomas de dengue, procure por uma unidade de saúde para receber o diagnóstico e as orientações do profissional de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *